terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Fantástico !

Pois é ontem lá fui matar o vicio mas aconteceu-me uma cena incrivel..
o mar estava um pouco mexido mas bom para o spinning ...mesmo se não tivesse tinha de ir matar o viçio...
Mas a cena foi mais ou menos assim .... estava na praia do algodio na ericeira a mandar a minha amostra corri a praia duma ponta á outra mas nada ..fui então tentar a minha sorte em cima do pontão já que o mar começou a levantar quando estava na praia .. e então já no pontão depois de uns lançamentos ...aconteceu-me uma coisa que não queria acreditar ...mas foi real ,
foi um momento lindo ... depois de fazer um lançamento e a amostra ja encostada as pedras dei um puxão para cima de modo a tirar a amostra para que não prende-se nas pedras , então na altura exacta que puxo a amostra não quis acreditar.....é verdade um robalo atrás da amostra mesmo encostado ás pedras foi uma cena muito rápida mas se estivesse visto deixava a amostra mais um bocado ...por um segundo ...perdi um peixe mas ganhei uma alegria só de ver esta cena ....fantástico...

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Um dia de pesca perdido !




Pois é um dia de pesca perdido ....


logo hoje que estava com uma fezada daquelas que costumo ter ...


mas mesmo assim não deixei de tirar umas fotos do mar que estava


muito bravo..




Apreciem estas fotos do mar bravo da ericeira ...




terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Como nasceu a Rapala !


Tudo começou com um pescador faminto e uma faca.
Foi na década de 1930, quando um simples pescador observava um fenómeno que por sua vez também era simples. Os peixes de maior volume comiam os mais pequenos até mesmo quando estes estavam doentes ou feridos. Foi assim que começou a maior história de pesca. Lauri Rapala pescava nas águas do lago Finlandês Paijanne, remava silenciosamente e observava os peixes, quando de repente viu como um depredador faminto lançou-se a um cardume de alevins e atacou precisamente aquele que mais oscilava. Reparou que esta situação repetia-se sucessivamente. O resto já nós sabemos o que aconteceu... Lauri, apercebeu-se que se conseguía fazer uma amostra que fosse capaz de imitar os movimentos dum peixe ferido, podería pescar mais peixes, ganhar mais dinheiro e não perder tempo com o isco. Lauri pôs mãos á obra, cortou, esculpiu e poliu até que a amostra começou a ter forma, utilizando uma faca de sapateiro e papel de lixa fabricou a sua primeira amostra de cortiça, em 1936. A superfície da amostra estava fabricada com o plástico dos chocolates e a camada protectora com negativos fotográficos fundidos. O mais relevante desta amostra era que imitava, perfeitamente as acções do peixe ferido. Conta a lenda, que nalgumas ocasiões, com a sua nova amostra, Lauri chegava a apanhar 300 kg de peixe por dia. Ao espalhar-se a noticía cresceu a reputação da amostra. O resto é história... Esta primeira amostra foi a antepassada da amostra que permitiu aos pescadores experimentar grandes emoções por grandes capturas, a legendária Original Floating Rapala.
O movimento que os peixes não podem resistir !!!

1º Encontro kayakfishing portugal

Loading...

As rapalas !

Loading...